30 de jul de 2016

#DiárioPessoal – Autoescola, viagens e customização


Oi gente! 

Já fazem algumas semanas que não atualizo o blog e confesso: foi por total descuido meu. Quando acontecem muitas coisas na minha vida fico meio perdido e acabo tendo que escolher as mais importantes para terminar de fazer primeiro e dessa vez o blog teve que esperar. Mas estou de volta e resolvi estrear uma nova coluna por aqui, a #DiárioPessoal. Sempre que tiver algumas novidades legais sobre minha vida vou escrever um pouco sobre, acho uma forma legal de vocês me conhecerem um pouco mais de mim e saberem o ando aprontando por aí.

Resolvi entrar na autoescola e na primeira aula já estava arrependido! (risos)
São muitas regras, leis e procedimentos para alguém que como eu só quer dar uma voltinha de carro ouvindo alguma música nova da Rihanna, ou ir até ali de moto por preguiça de andar, mas já aceitei o desafio (até porque o dinheiro já foi gasto) e estou firme e forte frequentando as aulas e me preparando para a prova teórica. Essa sensação de cada vez ter mais responsabilidades de adulto é muito estranha! Conto mais novidades no próximo #diáriopessoal. 

Na semana passada me juntei a um amigo muito querido para fazer uma pequena viagem a Belo Horizonte para relaxar um pouco, curtir a noite e aproveitar para comparecer a parada LGBT de BH, neste momento sombrio e confuso que estamos vivendo neste país é muito importante que nós nos juntemos para mostrar que existimos e exigimos respeito. Além da parada LGBT visitamos a famosa feira Hippie e quero muito voltar lá para olhar as coisas com mais calma (sempre acho que na primeira vez que conhecemos alguma coisa não prestamos a devida atenção) e comprar alguns objetos de decoração por lá. Passamos também pelo Parque Municipal e confesso que amei, o lugar é lindo e já imaginei vários vlogs ou looks do dia por lá (risos), mas ao mesmo tempo a sensação de insegurança é horrível por lá. 

Algumas fotos que postei no instagram @temmeutamanho

Uma foto publicada por alef b (@temmeutamanho) em


Não sou muito bom com customizações, mas como eu queria muito (muito mesmo) uma jaqueta com patches, depois de ver e rever alguns tutoriais no youtube, resolvi tentar fazer a minha. E não é que deu certo? Gostei muito do resultado e já tô animado para tentar criar algumas coisas novas. Se preparem para os tutoriais hahahaha




Me contem nos comentários se vocês gostam desse tipo de postagem. Acho legal compartilhar um pouco de mim e gosto de ler coisas assim de quem eu acompanho também. Beijos.

10 de jul de 2016

Lojas de moda plus size masculina (parte ll)


Desde o post de lojas de moda plus size masculina que fiz anteriormente (clique aqui para acessar) acabei descobrindo mais algumas lojas bem interessantes que comercializam roupas para homens gordos.

Ainda acho que o grande problema das empresas que fazem roupas grandes é o fato de elas não tentarem se adequar as tendências atuais, são sempre roupas com cores neutras, sem estampas, retas e sem graça. É difícil encontrar uma roupa plus size que você realmente fale: EU-PRECISO-DESSA-ROUPA, mas por outro lado é notável que algumas lojas ainda pequenas já tentem produzir roupas com mais estilo para nós gordos.

Espero que com que esse post eu possa ajudar alguns de você a encontrarem peças legais para comprar: 


Considero a Big Shirts uma loja bem completa, são vendidas camisas, camisetas, shorts, casacos e calças. As roupas são mais básicas, mas algumas camisas possuem estampas mais estilosas, as bermudas de variadas cores também me chamam atenção e gosto bastante da área de jaqueta/blazer.



Conheci essa loja pelo instagram e logo gostei das estampas que eles produzem. Tem estampas para todos os gostos, desde as mais discretas até as mais coloridas e divertidas. Eu adoro esse tipo de camisa e logo vou comprar uma.



Também conheci a loja Lambuzada pelo instagram e o conceito de camisas dela é bem parecido com a da Lili da Ena. São camisas com estampas divertidas e jovens. Já falei que adoro esse tipo de estampa?


Coletivo de Dois - http://coletivodedois.com.br/

Ainda continuando na linha de roupas coloridas e divertidas, encontrei o Coletivo de Dois. Eu adoro o modo com que eles constroem suas roupas e acho todas muito alegres. A grande maioria das peças são agender, ou seja, todo mundo pode usar sem medo. O ateliê fica em São Paulo, mas eles vendem online também.



Considero as roupas do VestGrande como aquelas que você usa para o dia a dia, em casa e também para trabalhar se for o caso. As peças são bem simples e os preços são bons. O ponto mais positivo da loja é o tamanho, eles vendem, por exemplo, calças até o número 70.



Sempre quis comprar camisetas com estampas legais de cantores ou bandas que gosto e nunca encontrava do meu tamanho, mas encontrei a PINKTEES e estou bem feliz por isso. A loja permite que você envie o tamanho que você quiser que a camiseta seja e também a estampa. Por ser no mercado livre desconfiei no começo, mas quando minha compra chegou fiquei muito feliz. Recomendo. 



4 de jul de 2016

5 motivos para não comentar sobre outros corpos


Sendo bem objetivo eu não precisaria nomear um, dois, três ou cinco motivos pelos quais você não deve fazer comentários sobre corpos alheios, principalmente corpos marginalizados pela sociedade, e a razão pela qual digo isso é bem simples: o meu corpo interessa somente a mim, assim como o seu somente te diz respeito. Mas, sinto que precisamos falar cada vez mais sobre isso, porque apesar de mais pessoas estarem se empoderando de si mesmas, por outro lado são cada vez mais frequentes casos de “body shaming” na internet e também off-line.

De 1001 coisas que as pessoas poderiam dizer sobre outras, geralmente o comentário é sempre sobre o corpo, “fulana tem muita celulite” ou “ciclano está muito gordo” e eu tento acreditar que as pessoas possuem esse comportamento porque são influenciadas por essa cultura e sociedade que só é empática com o corpo magro e “obrigam” as pessoas a se sentiram melhores criticando outras por qualquer característica que seja.

Movimentos como o #BodyPositive e #NoBodyShame têm ajudado muito a desconstruir essa ideia da qual apenas corpos magros e sem qualquer tipo de marcas são tidos como bonitos. E para ajudar a combater a discriminação, trago 5 motivos de porque você não deve comentar sobre outros corpos:

1 - Corpos alheios não são da sua conta



Todo mundo sabe o quanto opiniões que não são pedidas são chatas de ouvir. Pense, por exemplo, que uma pessoa na qual você não tem intimidade nenhuma e principalmente que você não tenha perguntado nada fique dando palpites sobre sua roupa, maquiagem ou namoro. Seria no mínimo constrangedor, não é?

Pois é a mesma coisa quando falamos de corpos alheios, não é legal sair distribuindo opiniões e “validações” principalmente quando sua opinião não é requisitada.

2 - Você não conhece a história das pessoas



A aparência das pessoas pode depender de vários fatores de suas vidas e se você não sabe a história e o que as pessoas passaram ou estão passando não te cabe julgar nada sobre elas. Falar é fácil, portanto precisamos colocar a empatia em prática e se colocar no lugar das pessoas. Mesmo que você não entenda, você precisa respeitar.

3 - Talvez o problema esteja em você


Você se sente bem quando tenta ofender uma pessoa por suas características físicas? Talvez o maior problema esteja em você. Afinal de contas não é normal descontar nossas frustrações pessoais em outros indivíduos. Procure entender porque é satisfatório para você colocar outras pessoas para baixo. 

4 -Você não está realmente preocupado


Você jura que quando critica o corpo de alguém é porque realmente está preocupado com a saúde da pessoa? Ou você está a julgando porque o corpo dela não é o “socialmente aceito”? É importante pensar nesses aspectos antes de falar qualquer coisa, porque no final das contas você não estará ajudando em nada, muito pelo contrário, certos comentários podem piorar a vida de pessoas que já precisam lidar com uma sociedade gordofóbica diariamente.

5- Existem muitas outras coisas para você comentar


Eu sei que a aparência é uma das primeiras coisas que reparamos quando encontramos alguém, mas ela não é tudo. Nossos corpos mudam com o tempo, as vezes ganhamos, perdemos, modificamos, tatuamos...são tantas possibilidades que é uma perda de tempo reparar apenas nisso. Não enxergue somente um corpo, enxergue um ser humano por trás dele. Com toda certeza surgirão milhares de outras coisas das quais você poderá falar sem causar mal estar algum.

29 de jun de 2016

Como homens reais choram

Como homens reais choram (What real men cry like) é um projeto idealizado pela fotografa e estudante de artes Maud Fernhout. Na verdade a intenção dela era fazer um artigo a respeito de estereótipos, regras de gêneros, mídia, direitos humanos em geral, ou seja qual o nome que você dê para esse assunto, mas depois de olhar as fotos e os depoimentos que tirou, ela percebeu que eles já falaram o bastante.

Segundo ela, sua intenção foi mostrar para as pessoas os pensamentos e sentimentos de dezenas de garotos e garotas da nossa geração, fazendo com que eles se abrissem a respeito de si mesmos.

Seja homem!

Quantos de nós já não ouvimos ou falamos isso e o que isso significa? “Ser um homem” é suprimir suas emoções, agir como se não tivesse emoções (como por exemplo, não chorando), mesmo quando não tem ninguém por perto? Não. Acho que demonstrar emoção e compartilhar com as pessoas próximas de você só te torna forte, não fraco. Não é sobre chorar – essa é apenas a representação nesse caso – é sobre demonstrar emoção e se abrir. E eu acredito que isso é menos aceito para homens do que para mulheres em nossa sociedade.”

 "Para mim, chorar não é mostrar sua fraqueza. Quando eu choro, eu aceito meus sentimentos e estou apto a continuar. Me faz mais forte."
 
 "Como a água purifica o corpo, lágrimas purificam a alma."
 "Chorar é uma das mais belas manifestações emocionais que nós somos capazes de ter, então não tenha medo de chorar. Contudo, chore quando necessário, para preservar sua beleza."
 "Se mostrar não é um sinal de fraqueza, mas um sinal de imenso poder."
 "Eu não acho que chorar é um motivo de vergonha. Ninguém deveria suprimir suas emoções para se encaixar com o esteriótipo que lhe foi atribuído. Acho que no final foi por causa da minha prova de estatística que chorei."
 "Se você pensar sobre, é estranho que suprimimos várias vezes nossas lágrimas. Porque é um fenômeno tão fascinante do humano."
 "Homens choram. Quero dizer, nós nascemos chorando, porque ter medo de chorar durante o resto de nossas vidas?"
"É mágico pensar como em uma lágrima, uma única lágrima pulando dos nossos olhos, um mundo de sensações, emoções e razões estão concentradas. É quase como se a lágrima fosse realmente a essência da nossa existência..."

Achei esse projeto maravilhoso, justamente por quebrar esse estereótipo de gênero do qual homens devem ser fortes e não demonstrar sentimentos (chorar nem pensar) e mulheres devem ser justamente o contrário. Inclusive, existem mais fotos e a outra parte do projeto chamada de “como mulheres reais riem” que também é muito legal. Acesse aqui.

26 de jun de 2016

Blogueiro por amor X blogueiro por interesse


Nas últimas semanas percebi que minha conta no google adsense estava bem próxima dos cem dólares e confesso que fiquei muito feliz e satisfeito por isso, quando completou os dólares necessários para o saque fiquei mais feliz ainda e isso me fez refletir sobre a atual fase que a blogosfera enfrenta.

Foram vários pontos de interrogação que surgiram na minha cabeça e quero falar um pouco sobre isso.

Antes (tipo uns 5 ou 6 anos atrás) as pessoas não tinham noção que a internet poderia ser a principal fonte de renda de muitas pessoas e ser "blogueiro" seria uma profissão como é atualmente, quem começou primeiro, como por exemplo: Marimoon, Bruna Vieira, Niina Secrets ou PC Siqueira, hoje colhem os frutos de todo seu esforço. A diferença entre essas pessoas que começaram antes e a grande maioria das pessoas que começam hoje é a intenção. Afinal de contas é muito fácil se apaixonar por esse mundo de “Oi meninas, hoje eu vim mostrar os recebidos do mês...” mas ninguém se lembra que para chegar nessa fase de reconhecimento tanto pelo público quanto pelas empresas é necessário MUITO trabalho.

De dois anos para cá que foi quando criei o Tem Meu Tamanho e comecei a levar meu blog um pouco mais a sério no sentido de ter mais organização, pude perceber diversas coisas do mundo dos blogs, entre essas coisas, posso dizer que:  só consegue se destacar quem realmente se dedica muito para isso, originalidade é uma das principais razões pelas quais as pessoas fazem sucesso e organização pode ser a chave de tudo. Tudo isso combinado pode sim te fazer diferente dos milhares de outros blogueiros que surgem todos os dias.

Tenho lido muitos artigos e vendo muitos vídeos a respeito de como otimizar seu blog tanto para atrair leitores, quanto para gerar receita e graças a esse tipo de conteúdo (que pode ser encontrando gratuitamente na internet) foi possível que eu chegasse aos cem dólares, mesmo tendo um blog com pouco mais de 2.000 acessos diários. É claro que não foi de um dia para o outro, como já citei anteriormente, estou a dois anos levando meu blog mais a sério.

Infelizmente as coisas tem andado por um caminho complicado, ter um blog ficou meio que banalizado, existem pessoas que até escondem o fato de ter um blog por vergonha e eu acredito que a causa disso é justamente a ideia sem sentido que é só criar um blog que o dinheiro vai cair automaticamente na conta, sem ter que se preocupar com conteúdo, layout, divulgação e originalidade. NÃO-É-TÃO-FÁCIL-ASSIM ainda mais hoje em dia.

As principais razões para eu ter criado meu primeiro blog foi à necessidade de criar conteúdo, ter um espaço meu na internet e compartilhar coisas legais com outras pessoas e até hoje são por essas razões que estou aqui, escrevendo esse texto agora. O que quero dizer é que é maravilhoso fechar parcerias, ganhar produtos e dinheiro, mas é muito melhor quando a primeira intenção não é essa e mesmo assim isso acontece. É maravilhoso quando as pessoas valorizam o que você faz.                                                                                                          
Image Map
TECNOLOGIA BLOGGER - DESIGN POR SUSAN SANTOS | PROGRAMAÇÃO HEART IDEAS